Rastreio do cancro

Visão geral

A prova de deteção do cancro (ou células anormais que podem-se transformar em cancro) em pessoas que não apresentam sintomas é chamado de rastreio.

O rastreio pode ajudar os médicos a detectar e tratar vários tipos de cancro no início, antes de causar sintomas. A detecção precoce é importante porque, quando o tecido anormal ou o cancro é detectado precocemente, pode ser mais fácil de tratar. No momento em que os sintomas aparecem, o cancro pode ter começado a espalhar-se e torna-se mais difícil de tratar.

Tem sido demonstrado que vários testes de rastreamento detectam o cancro a tempo e reduzem a chance de morrer desse cancro.

Mas é importante ter em mente que os testes de rastreio podem ter possíveis danos e benefícios:

  • Alguns testes de rastreio podem causar sangramento ou outros problemas de saúde.
  • Os testes de rastreio podem ter resultados falso-positivos, ou seja, o teste indica que o cancro pode estar presente mesmo que não esteja. Esses resultados podem causar ansiedade e, geralmente, são seguidos por testes e procedimentos adicionais que também apresentam possíveis danos.
  • Os testes de rastreio podem ter resultados falso-negativos, ou seja, o teste indica que o cancro não está presente, mesmo que esteja. Resultados de testes falso-negativos podem fornecer falsa segurança, levando a atrasos no diagnóstico e, possivelmente, um indivíduo a parar de procurar atendimento médico, mesmo que os sintomas ocorram.
  • O teste de rastreio pode levar a um sobrediagnóstico, ou seja, o teste de triagem mostra corretamente que uma pessoa tem cancro, mas o cancro está crescendo lentamente e não teria prejudicado essa pessoa na sua vida. O tratamento destes tipos de cancro é chamado de tratamento excessivo.

Testes de rastreio que mostraram reduzir a mortalidade

Colonoscopia, sigmoidoscopia e testes de sangue oculto nas fezes (FOBT)

Todos estes testes demonstraram reduzir as mortes por Cancro Colorretal. A colonoscopia e a sigmoidoscopia também ajudam a prevenir o Cancro Colorretal porque podem detectar crescimentos anormais do cólon (pólipos) que podem ser removidos antes que se transformem em cancro. Grupos de especialistas geralmente recomendam que pessoas com risco médio de Cancro Colorretal sejam rastreadas entre 50 e 75 anos.

Tomografia computadorizada helicoidal em baixa dose

Tem sido demonstrado que este teste para detectar o Cancro de Pulmão reduz as mortes por Cancro de Pulmão de grandes fumadores entre 55 e 74 anos.

Mamografia

Tem sido demonstrado que este método para detectar o Cancro da Mama reduz a mortalidade da doença entre mulheres de 40 a 74 anos, especialmente aquelas com 50 anos de idade ou mais.

Teste de Papanicolau e Papilomavírus Humano (VPH)

Estes testes reduzem a incidência do cancro do colo do útero porque permitem identificar e tratar células anormais antes que elas se transformem em cancro. Eles também reduzem as mortes por cancro do colo do útero. Geralmente, recomenda-se que os testes comecem aos 21 anos e terminem aos 65 anos, desde que os resultados recentes tenham sido normais.

Outros testes de rastreio

Teste de sangue de alfa-fetoproteína

Este teste é usado às vezes, junto com a ultrassonografia do fígado, para tentar detectar o Cancro de Fígado em pessoas com alto risco da doença.

Ressonância magnética da mama

Este exame de imagem é frequentemente usado para mulheres que carregam uma mutação deletéria no gene BRCA1 ou no gene BRCA2; essas mulheres têm um alto risco de Cancro da Mama, bem como um risco aumentado de outros tipos de cancro.

Teste CA 125

Este exame de sangue, que geralmente é feito em conjunto com uma ultrassonografia transvaginal, pode ser usado para tentar detectar precocemente o Cancro de Ovário, especialmente em mulheres com maior risco da doença. Embora este teste possa ajudar a diagnosticar o Cancro de Ovário em mulheres com sintomas e possa ser usado para avaliar a recorrência de cancro em mulheres previamente diagnosticadas com a doença, não se provou ser um teste efetivo de rastreamento do Cancro de Ovário.

Exames clínicos da mama e auto-exames regulares da mama

O exame de rotina de mama por prestadores de cuidados de saúde ou por mulheres em si não foi demonstrado reduzir as mortes por Cancro da Mama. No entanto, se uma mulher ou o seu prestador de cuidados de saúde notar um caroço ou outra alteração invulgar na mama, é importante que seja verificado.

Teste de PSA

Este exame de sangue, que muitas vezes é feito em conjunto com um exame retal digital, pode detectar Cancro de Próstata num estágio inicial. No entanto, os grupos de especialistas não recomendam mais o teste de PSA de rotina para a maioria dos homens porque os estudos mostraram que tem pouco ou nenhum efeito sobre as mortes por Cancro de Próstata e leva ao diagnóstico excessivo e ao tratamento excessivo.

Exames de pel

Os médicos geralmente recomendam que pessoas com risco de cancro de pele façam exames regulares de pele. Não foi demonstrado que tais testes reduzam o risco de morte por cancro de pele e podem levar ao tratamento excessivo. No entanto, as pessoas devem estar cientes das alterações na sua pele e informar seu médico imediatamente.

Ultrassonografia transvaginal

Este exame de imagem, que pode criar imagens de ovários e útero de uma mulher, é às vezes usado em mulheres com risco aumentado de Cancro de Ovário (porque têm uma mutação prejudicial de BRCA1 ou BRCA2) ou cancro de endométrio (porque têm uma condição chamada síndrome de Lynch) mas não foi demonstrado reduzir as mortes por cancro.

Colonoscopia virtual

Este teste permite examinar o cólon e o reto de fora do corpo. No entanto, não foi demonstrado reduzir as mortes por Cancro Colorretal.