Estatísticas do cancro

Visão geral

O cancro tem um grande impacto na sociedade dos Estados Unidos e em todo o mundo. As estatísticas do cancro descrevem o que acontece em grandes grupos de pessoas e fornecem uma imagem no momento do peso do cancro na sociedade. As estatísticas dizem-nos coisas como quantas pessoas são diagnosticadas e morrem de cancro a cada ano, o número de pessoas que vivem atualmente após um diagnóstico de cancro, a idade média no momento do diagnóstico e o número de pessoas que ainda estão vivas em dado momento. Após o diagnóstico também nos informam sobre as diferenças entre grupos definidos por idade, sexo, grupo racial/étnico, localização geográfica e outras categorias.

Estatísticas em resumo

Embora as tendências estatísticas geralmente não sejam diretamente aplicáveis ​​a pacientes individuais, elas são essenciais para que governos, formuladores de políticas, profissionais de saúde e pesquisadores entendam o impacto do cancro na população e desenvolvam estratégias para enfrentar os desafios que o cancro representa para a sociedade em geral. As tendências estatísticas também são importantes para medir o sucesso dos esforços para controlar e gerir o cancro.

O peso do cancro nos Estados Unidos

  • Em 2018, 1.735.350 novos casos de cancro serão diagnosticados nos Estados Unidos e 609.640 pessoas morrerão da doença.
  • Os cancros mais comuns (listados na ordem de novos casos estimados em 2018 descendente) são o Cancro da Mama, Cancro do Pulmão e Brônquios, Cancro da Próstata, Cancro Colorrectal, Melanoma da Pele, Cancro da Bexiga, não-Hodgkin, Cancro de Rim, Cancro de Endométrio, Leucemia, Cancro de Pâncreas, Cancro da Tiróide e Cancro de Fígado.
  • O número de novos casos de cancro (incidência de cancro) é de 439,2 por 100.000 homens e mulheres por ano (de acordo com os casos de 2011-2015).
  • O número de mortes por cancro (mortalidade por cancro) é de 163,5 por 100.000 homens e mulheres por ano (com base nas mortes de 2011-2015).
  • A mortalidade por cancfo é maior entre homens do que entre mulheres (196,8 por 100.000 homens e 139,6 por 100.000 mulheres). Quando os grupos são comparados por raça/etnia e sexo, mortalidade por cancro é maior entre os homens afro-americanos (88,3 por 100.000) e mais baixa nas mulheres asiáticas das ilhas Pacífico (239,9 por 100.000).
  • Em 2016, estima-se que há 15,5 milhões de sobreviventes de cancro nos Estados Unidos. Espera-se que o número de sobreviventes de cancro aumente para 20,3 milhões até 2026.
  • Aproximadamente 38,4% dos homens e mulheres serão diagnosticados com cancro em algum momento durante as suas vidas (de acordo com dados de 2013-2015).
  • Em 2017, aproximadamente 15.270 crianças e adolescentes de 0 a 19 anos foram diagnosticados com cancro e 1.790 morreram da doença.
  • As despesas nacionais estimadas para o tratamento do cancro nos Estados Unidos em 2017 foram de 147,3 bilhões de dólares. Nos próximos anos, os custos tendem a aumentar à medida que a população envelhece e a prevalência do cancro aumenta. Também é provável que os custos aumentem à medida que novos tratamentos, e frequentemente mais caros, sejam adotados como padrões de atendimento.

Tendências na mortalidade por cancro nos Estados Unidos

O melhor indicador do progresso contra o cancro é uma mudança nas taxas de mortalidade ajustadas por idade, embora outras medidas, como a qualidade de vida, também sejam importantes. A incidência também é importante, mas nem sempre é fácil interpretar as mudanças na incidência. Por exemplo, se um novo teste de rastreamento detectar muitos casos de cancro que nunca causariam um problema durante a vida de alguém (chamado diagnóstico excessivo), a incidência desse cancro parece aumentar mesmo que as taxas de mortalidade não mudem. Mas um aumento na incidência também pode refletir um aumento real da doença, como é o caso quando um aumento na exposição a um fator de risco causa mais casos de cancro. Nesse cenário, o aumento da incidência provavelmente levaria a um aumento da mortalidade por cancro.

De 1991 a 2015, a taxa geral de mortalidade por cancro nos Estados Unidos caiu 26%.

Nos Estados Unidos, a taxa geral de mortalidade por cancro diminuiu desde o início dos anos 90. A mais recente revisão de estatísticas de cancro do SEER, publicada em abril de 2018, mostra que as taxas de mortalidade por cancro diminuíram em:

  • 1.8% anual entre os homens de 2006 a 2015
  • 1.4% anual entre mulheres de 2006 a 2015
  • 1.4% ao ano entre crianças de 0 a 19 anos, de 2011 a 2015

Embora as taxas de mortalidade para muitos cancros individuais também tenham diminuído, as taxas para alguns tipos de cancro estabilizaram-se ou até aumentaram.

Como a taxa geral de mortalidade por cancro diminuiu, o número de sobreviventes de cancro aumentou. Essas tendências mostram que estão sendo feitos progressos contra a doença, mas ainda há muito trabalho a ser feito. Embora as taxas de tabagismo, uma das principais causas de cancro, tenham diminuído, a população dos Estados Unidos está envelhecendo e as taxas de cancro aumentam com a idade. A obesidade, outro fator de risco para o cancro, também está aumentando.

Programa de Vigilância, Epidemiologia e Resultados Finais (SEER)

O Programa de Vigilância, Epidemiologia e Resultados Finais (SEER) do Instituto Nacional do Cancro (NCI) recolhe e publica dados sobre a incidência e a sobrevivência do cancro a partir de registros populacionais de cancro que abrangem aproximadamente 28% da população dos EUA. O site do programa SEER possui estatísticas de cancro mais detalhadas, que incluem estatísticas de população para tipos comuns de cancro, gráficos e tabelas personalizáveis ​​e ferramentas interativas.

O relatório anual para a nação sobre o estado do cancro fornece uma atualização anual sobre a incidência, mortalidade e tendências do cancro nos Estados Unidos. Este relatório é criado em conjunto por especialistas do NCI, dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, da American Cancer Society e da Associação Norte-Americana de Registros Centrais de Cancro.