Cancro de Cabeça e Pescoço

Visão geral

Cancro de Cabeça e Pescoço é um termo usado para descrever um número de diferentes tumores malignos que se desenvolvem dentro ou ao redor da garganta, laringe, nariz, seios perinasais e boca.

A maioria dos Cancros de Cabeça e Pescoço são carcinomas de células escamosas. Esse tipo de cancro começa nas células escamosas e planas que compõem a fina camada de tecido na superfície das estruturas da cabeça e do pescoço. Diretamente abaixo desse revestimento, chamado de epitélio, algumas áreas da cabeça e do pescoço possuem uma camada de tecido úmido, chamada mucosa. Se um cancro é limitado à camada escamosa de células, é chamado de carcinoma in situ. Se o cancro cresceu além desta camada de células e se mudou para o tecido mais profundo, então é chamado de Carcinoma de Células Escamosas Invasivo.

Se um Cancro de Cabeça e Pescoço começa nas glândulas salivares, o tumor geralmente é classificado como um adenocarcinoma, carcinoma adenoide cístico ou carcinoma mucoepidermóide.

Tipos de Cancro de Cabeça e Pescoço

Existem muitos tipos de Cancro de Cabeça e Pescoço. O seu médico pode-lhe dizer mais sobre o tipo que tem. Aqui estão alguns dos tipos mais comuns e as suas denominações:

  • Cancro de cavidade oral: começa na boca.
  • Cancro de orofaringe: começa na parte de trás da boca ou da garganta.
  • Cancro de cavidade nasal: começa na abertura atrás do nariz, um espaço que corre ao longo do topo do céu da boca e depois vira para baixo para se juntar à parte de trás da boca e da garganta.
  • Cancro de seio paranasal: começa nas aberturas ao redor ou perto do nariz, chamadas de seios.
  • Cancro nasofaríngeo: começa na parte superior da garganta atrás do nariz.
  • Cancro de laringe: começa na caixa de voz.
  • Cancro hipofaríngeo: começa na parte inferior da garganta ao lado e atrás da caixa de voz.

O tipo mais comum de Cancro de Cabeça e Pescoço é chamado de carcinoma. Esses cancros começam nas células que revestem todas as partes do nariz, boca e garganta.

Fatores de risco

  • Sexo
  • Idade
  • Etnia
  • Exposição prolongada ao sol
  • Infecção pelo vírus Epstein-Barr (EBV)
  • Má higiene bucal e dental
  • Inalantes ambientais ou ocupacionais
  • Drogas, tabaco e consumo de álcool
  • Nutrição deficiente de vitaminas
  • Sistema imunológico fraco

Sinais e sintomas

  • Inchaço ou dor que não cicatriza (o sintoma mais comum)
  • Marca vermelha ou branca na boca
  • Protuberância, inchaço ou massa na cabeça ou pescoço, com ou sem dor
  • Dor de garganta persistente
  • Odor de boca suja não explicado pela higiene
  • Rouquidão ou alteração na voz
  • Obstrução nasal ou congestão nasal persistente
  • Sangramentos do nariz frequentes e/ou corrimento nasal incomum
  • Dificuldade em respirar
  • Visão dupla
  • Dormência ou fraqueza de uma parte do corpo na região da cabeça e pescoço
  • Dor ou dificuldade de mastigar, engolir ou mover a mandíbula ou a língua
  • Dor no ouvido e/ou mandíbula
  • Sangue na saliva ou fleuma, que é o muco descarregado na boca pelas vias respiratórias
  • Dentes soltos
  • Dentaduras que já não encaixam
  • Perda de peso inexplicável
  • Cansaço

Prognóstico

As taxas de sobrevivência relativa de 5 anos para o cancro de cavidade oral e faringe (garganta) são basicamente 83% para cancro que não se espalhou, 62% para cancro que se espalhou para os linfonodos próximos e 38% para cancro que se espalhou para partes distantes o corpo.

No caso do cancro de cavidade nasal e cancro de seio paranasal, descobrimos que as taxas de sobrevivência em 5 anos são muito semelhantes nos estágios iniciais (I e III), sendo em torno de 60%. Em estágios mais avançados (III e IV), essa taxa será variável entre 50% e 35%, respectivamente.

No cancro de laringe, em uma visão geral, no estágio I, a taxa de sobrevivência em 5 anos é de cerca de 90% e no estágio II até 70%. No estágio III, cerca de 60% das pessoas sobreviverão enquanto no estágio IV essa probabilidade é muito menor, sendo em torno de 25%.

Diagnóstico do Cancro de Cabeça e Pescoço

OBSERVAÇÃO: O DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CANCRO É MUITO IMPORTANTE, O CANCRO QUE É DIAGNOSTICADO EM UM ESTÁGIO MAIS ANTECIPADO, ANTES DE TER A OPORTUNIDADE DE SE TORNAR MAIOR OU PROPAGAR, TEM MAIS PROBABILIDADE DE SE TRATAR COM SUCESSO. SE O CANCRO JÁ SE ESPALHOU, O TRATAMENTO TORNA-SE MAIS DIFÍCIL E, EM GERAL, A TAXA DE SOBREVIVÊNCIA É MUITO INFERIOR.

Estado da arte

No passado, diferentes métodos foram desenvolvidos para diagnosticar a presença de tumores na cabeça e no pescoço. Alguns dos procedimentos usualmente empregados para essa finalidade incluem exames físicos, endoscopias, biópsias e técnicas de imagem, como raios-X, tomografias computadorizadas, ressonância magnética ou PET. No entanto, esses procedimentos são inerentemente limitados por várias razões: em primeiro lugar, podem exercer stresse sobre o paciente; em segundo lugar, alguns deles podem ser prejudiciais (por exemplo, radiografias ou endoscopias) e danificar alguns tecidos durante o exame; adicionar custos significativos ao longo do tratamento.